domingo, 26 de fevereiro de 2012

Deus não quer o que é bom para nós

Calma, não fique indignado. Deus não está preocupado em buscar o que é bom para nós aos nossos olhos. Ele tem uma visão bem diferente da nossa a respeito do que é bom para nós.

Deus quer saber do nosso crescimento, do nosso tratamento. Deus não está interessado em nos mimar com bênçãos materiais. Ele quer nos tratar. Ele não está preocupado se estamos sofrendo. O sofrimento faz parte desta vida e não temos como nos livrar desta condição. Condição esta que é válida para todos crentes e não crentes. Fiéis ou não fiéis.

Nós herdamos de Adão a maldade e Deus se afastou de nós. Para irmos para a mansão que Deus nos preparou no céu ou para a terra que mana leite e mel na eternidade, porque aqui nesta terra não tem como, Deus precisa nos tratar, nos justificar para nos glorificar.

Esta vida é passageira e de sofrimento. É com a ferramenta do sofrimento que Deus nos lapida, nos purifica, nos justifica. Sem sofrimento não há avanço, não há purificação, não há justificação. Mas, Deus nos dá trégua também em todo este processo. Nos dá áreas prósperas em nossas vidas. Nos dá momentos de felicidade e aparente calma. Nem tudo é só sofrimento.

Concentremo-nos e valorizemos os momentos de calmaria, de harmonia, de tranqüilidade. Eles são o combustível necessário para mais um período de sofrimento.

Moisés sofreu...como sofreu Moisés. Abraão sofreu...como sofreu Abraão. Davi sofreu. José sofreu. Paulo sofreu. E como teria que ser também Cristo sofreu...como sofreu Jesus Cristo.

Porque Deus nos livraria do sofrimento, se sempre seus maiores servos sofreram tanto? O diabo sim está interessado em nos livrar ou nos fazer acreditar que temos que nos livrar do sofrimento.

Jesus veio para que Deus pudesse nos oferecer a Sua Graça. Ela nos basta. Gloriemo-nos em nosso sofrimento, pois ele é o prova de que Deus está nos cuidando.

Deus não está interessado no tamanho da nossa felicidade ou infelicidade. Se você chora, Deus sorri. Porque com o choro vem o arrependimento, vem o quebrantamento, sem ele não podemos acessar a Deus.

Nós, em nosso estado natural e de criancinhas, vamos sempre querer a trégua. Porque ela nos descansa. Mas, é na luta, no sofrimento que nós crescemos. Quando somos maduros na fé sabemos que é Deus que nos descansa em qualquer ocasião, sempre. E não a trégua. Deus é o nosso recurso, ou melhor, refúgio, e não a trégua.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

A Disciplina Espiritual e as Nossas Atividades

Você tem vida com Deus? Quantas horas por dia se dedica à Deus? Intimidade, irmãos, intimidade. Estudo da Palavra. Leitura sistemática da Palavra. Paul Washer sempre nos ensina tanto.....

Paul Washer - A disciplina espiritual e as nossas actividades from Portal Testemunho on Vimeo.