terça-feira, 30 de dezembro de 2008

A LIDERANÇA SUBMISSA

Objetivo deste artigo: comparar a Liderança de Faraó com a de Moisés (submetida a Deus) na saída do Egito.
Cenário: Fuga do Egito pelo povo de Israel liderado por Moisés em direção à Terra Prometida (Canaã).
Situação do povo de Israel: Eram escravos há mais de 400 anos no Egito. Eram em número superior a 2 milhões de almas.
Faraó: agia por vaidade, media força para demonstrar poder, resistia estupidamente somente porque confiava demais em si mesmo e em sua posição de Faraó. Agia pela força. Escravizava em beneficio próprio. Não era inspirado por nada e por ninguém. O faraó da época de Moisés governava após 220 anos de José (filho de Jacó e homem de Deus, governador do Egito eleito pelo Faraó da época e responsável pelo fato do povo de Israel estar no Egito). Não analisava com bom senso a situação. Persistia em errar oferecendo risco a todos, inclusive à sua família (perdeu seu filho primogênito), com base em pensamentos egoístas. Era imediatista. Recusava-se a acreditar no que via. Tomava decisões (de libertar o povo) e depois voltava atrás, não demonstrando firmeza em seus atos, coerência em suas atitudes. Não tinha objetivos nobres em suas atitudes. Era inseguro e vacilante.
Conseqüências das atitudes de Faraó: extermínio do exercito, morte de todos os primogênitos das famílias egípcias, seqüelas das pestes e dos ataques permitidos por Deus ao povo egípcio, morte de todo o gado egípcio e muitos desastres e suas conseqüências.
Moisés: não agia por conta própria. Submetia sua liderança a algo maior que ele, no caso a Deus. Suas atitudes eram certeiras e não vacilantes, Se sentia inseguro às vezes por causa das reações negativas do povo, mas buscava força e explicação em Deus. Por causa do seu relacionamento estreito com Deus, tinha um objetivo maior em suas atitudes, maior que ele, maior que o momento. Tudo colaborava para o sucesso de Moisés. Ele tinha compromisso com algo superior e não agia por sua vontade. Quando tomava uma decisão, não voltava atrás, ia até o fim. Tinha um objetivo e não se desviava dele, apesar dos obstáculos. Confiava em Deus e por isso era calmo, seguro. Sabia que Deus agiria e daria soluções aos problemas. Era instrumento de Deus. Era inspirado por Deus. Não cometia erros. Tinha ampla visão.
Conseqüências das atitudes de Moisés: fuga com sucesso de todo o povo de Israel para o deserto em direção a Canaã. Cumprimento de todo o processo de libertação deste povo escolhido por Deus. Foi líder de mais de 2 milhões de pessoas sem aparentes grandes problemas. Este povo sobreviveu no deserto, alimentados por Deus com o maná. Quando faltou água, Moisés clamou a Deus e apareceu água. Deus os conservou com as mesmas roupas e sapatos por mais de 40 anos. Milagres aconteceram um após o outro. Todos os objetivos foram alcançados com louvor, com excelência. Por causa de Moisés tudo saiu como Deus planejou.
Perguntas para nos fazermos: A que ou a quem estamos submetendo nossa liderança? Que estilo de liderança estamos exercendo em nosso trabalho? Em nossa casa? Estamos agindo de forma vacilante? Ou estamos firmes nos nossos propósitos? Nossa liderança está atrelada a algo maior, nobre? Ou estamos apenas preocupados conosco e com nosso mundinho particular? Estamos obtendo sucesso e progresso de âmbito geral com nossa liderança ou estamos estagnados há anos, cometendo erro atrás de erro? Como pais, como cônjuges, como líderes no trabalho...


De alguma forma em nossas vidas exercemos boa ou má liderança, mas exercemos liderança – como mães ou pais, como chefes de família, somos líderes de nossa própria vida. Como John Maxwell diz, devemos nos esforçar e experimentar situações programadas de liderança para progredirmos nesta habilidade que excede o ambiente de trabalho.

domingo, 28 de dezembro de 2008

Por que Planejar?

Aqui vai meu presente de final de ano pra vocês, meus leitores! Feliz 2009.
Pelo advento do final do ano, fica sempre no ar uma necessidade de se falar em planejamento por que um ano termina e vem chegando um novo ano cheio de expectativas e esperanças.
Mas por que é tão importante, e porque se fala tanto em planejamento?
Por que não se pode chegar a nenhum lugar bom sem planejamento. Sem ele chegamos a qualquer lugar. Não há progressão.
Eu não consigo cumprir o que planejo –
Se alguém não consegue cumprir o que planeja é porque não conhece os benefícios de se planejar e de se seguir este planejamento. Não entende os ganhos que temos quando planejamos.
Eu não me lembro do que planejo –
Se alguém não se lembra do que planejou primeiramente é porque não conhece os benefícios do planejamento, segundo porque não relê com freqüência seus planejamentos, terceiro porque não se preocupa em manter o foco e se deixa levar por obstáculos, desvios que aparecem no meio do caminho.
Pra que planejar? No final das contas sai tudo diferente?
O planejamento está sempre atrelado a um objetivo. Faz-se uma estratégia específica para se chegar a tal objetivo, mas imprevistos acontecem. O importante é manter o foco no objetivo. Porém todo bom planejamento sempre tem uma alternativa “b”no caso de imprevistos.
É complicado se planejar algo se dependemos de outros –

Todo planejamento, se envolvidas outras partes deve ser discutido entre estas partes, porém depois de decidido, vale o que está planejado. O planejamento é soberano às vontades particulares de cada um. Ele existe para favorecer e levar o grupo a algum nível acima na progressão.
Como fazer um planejamento eficiente? Como segui-lo de forma eficaz?
Primeiramente se avalia aonde se quer chegar, para isso é bom fazer uma lista. Depois de feita e analisada a lista, parte-se para o planejamento em si. É necessário se separar mesmo que didaticamente falando as áreas da nossa vida. Ou seja, um planejamento para cada área. Mesmo que, de certa forma, todas as áreas estejam interligadas. O mais importante e o que se deve manter o foco é na listagem dos objetivos. O como chegar lá é variável. Quanto ao tempo para realização, deve-se ser bem flexível também, pois estas são previsões as quais não nos devemos apegar. Deus faz tudo ao seu tempo. Durante este processo de planejamento e execução, Deus nos ensina, direciona, nos trata, nos cura, nos adverte...
O que devo levar em consideração para me planejar?
Deve-se levar em consideração a vontade de Deus para a sua vida, seus propósitos para cada um. Tem que ver se o que desejamos está afinado com a palavra de Deus. Por que Deus só pode realizar algo em nossa vida que esteja dentro de seus padrões.
Quando devo me planejar?

Agora e sempre. Para tudo. Para o seu dia, para seu futuro.
Em que área da minha vida devo me planejar e qual delas posso encarar sem planejamento?

Deve-se planejar todas as áreas de nossas vidas, sem exceção. No nosso dia-a-dia deve constar até o lazer. Agora o que fazer deste tempo de lazer pode ficar como não planejado. O nosso tempo com Deus também, pode ficar sem planejamento alguns dias. Mas no final de um tempo temos que seguir um plano para que cheguemos a algum lugar.
E se algo acontece no meio do caminho, o planejamento está furado?

Não. Se algo acontece no meio do caminho mantenha o foco no objetivo. Mas um bom planejamento prevê imprevisto. Não podemos nos esquecer que o Espírito Santo nos dá sempre a direção, vale lembrar que é sempre necessário buscar a Deus.
Por quem deve ser feito o planejamento?

Sempre por quem vai participar do processo. Quem tem a visão e o foco.
Quais os benefícios de se planejar? E os malefícios?

Benefício de saber aonde se quer chegar, de não se perder tempo, nem direção. Benefício de se sentir tranqüilo e de ter um caminho plano, um caminhar seguro. Malefício não há nenhum.
Há benefícios em não se planejar?
Não há benefícios em não se ter um planejamento. A falta de planejamento nos leva sempre a recomeçar, pois não sabemos para onde vamos.
Prefiro não planejar e seguir meus instintos.

Esta é uma mentira de Satanás para nos fazer perder tempo, nos fazer desistir, nos cansar. Além de que instintos aqui podem ser interpretados como da “carne” e neste caso, Deus diz que devemos matar a carne e não segui-la.
Planejamento é coisa pra gente chata, sem graça, previsível.
Esta é outra mentira de Satanás. O mundo pensa assim, ele jaz no maligno. Previsível, chato e sem graça é não ter um planejamento e andar em círculos.
Que base há na palavra de Deus para a questão do planejamento?
Deus sempre age no planejamento e nunca se afasta do que planeja. Quando deu instruções a Noé, a Moisés e a tantos outros homens, Deus planejou tudo. Escolheu homens fiéis que realizariam Seu desejo e deu instruções específicas de curto e longo prazo. Tudo bem planejado. Quando Deus criou o mundo também fez tudo com ciência, com planejamento, com perfeição. Tudo no seu tempo.
Se não planejo tenho mais jogo de cintura para as adversidades. Estou mais preparado sempre para o inesperado.

Mentira. Mentira de Satanás. Levei esta afirmação a sério durante anos na minha vida e colhi somente adversidade. Fiquei sem sair do lugar por 44 anos. Morando na casa dos meus pais. Sem planejamento consegui ter 4 filhos de dois pais diferentes. Fui mãe aos 41 anos e estava divorciada, desempregada, morando com meus pais, sem perspectivas. Consegui começar 4 faculdades e não concluir nenhuma. Iniciei 5 negócios e não consegui ultrapassar o primeiro ano. Fracassos, fracassos, somente isso colhi sem planejamento, sem foco, sem objetivo. Sou expert em não-planejamento e sem ele a gente vive apenas o inesperado, a adversidade o tempo todo. Ou seja, a gente vive o caos e não sai do lugar.
Capacidade de improvisar – argumento de quem nunca planeja.
Quando se tem um planejamento inspirado por Deus, o Espírito Santo nos avisa das adversidades. Portanto não há adversidade. Não é necessário improvisar por nossa conta. É só confiar no Espírito Santo de Deus. “O caminho do justo é plano...” Isaías 26:7.
Planejar toma tempo.

Muito mais tempo nos tomam o recomeçar, o reunir forças novamente, os erros cometidos, as ações fora do nosso objetivo, as conseqüências destas ações. Quanto tempo pode nos tomar um planejamento? Horas, dias, semanas...Quanto tempo me tomou o não-planejamento: anos, décadas.....Sem planejamento não há progresso.
Planejar limita a realidade.
A realidade só pode ser vivida de forma saudável com planejamento.
Gostou Indique a um amigo.
Visite www.pt.netlog.com/dricahorta e participe do questionário.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Eu escolhi cuidar dos meus relacionamentos

Cuidar dos relacionamentos significa que devemos dispor de tempo, de atenção, investir em tolerância, perdão, investir em presença, temos que saber dividir, não julgar, aceitar...Exercer tantas ações que exigem esforço....que preferimos ser exigentes, inflexíveis, vermos somente o nosso lado, achar que somos vítimas....porque é mais fácil e alimenta o nosso orgulho, o nosso ego, a nossa vaidade: "isso eu não perdôo nunca, não adianta nem me pedir desculpas..."; "viu o que ele fez comigo? eu não mereço isso"; "eu não nasci pra isso"; "minha lei faço eu, quem não segue não serve pra conviver comigo" e etc... Utilizamos de supostas regras sociais ou até juridicas para julgarmos e nos colocarmos como réus sempre, como corretos diante das situações e o outro, errado.

Porém as compensações de se cuidar dos relacionamentos a despeito do esforço que temos que fazer são muitas: ter com quem contar, receber tolerância, perdão, compartilhar de vitórias de outros, ser incluído em projetos de outros, não ser julgado, ser defendido em situações em que ninguém acredita em você.... no mínimo ser visto por Deus como seguidor de sua palavra.

"Levai as cargas uns dos outros e assim cumprireis a lei de Cristo."Gálatas 6:2

Não basta ser amigo, nas horas boas, ser bom marido no social, ser bom pai nas comemorações. Ser puxa-saco no trabalho. Para os pais não é suficiente pagar a escola e as despesas, para as esposas não é suficiente fazer as coisas e reclamar o dia todo. Para os filhos, não basta cumprir obrigações. Para os funcionários não basta mostrar serviço.

Chega de "olho por olho, dente por dente". Precisamos ser humildes diante de Deus e seguirmos seus conselhos, mesmo que não entendamos as razões. Se Deus diz que devemos perdoar 7x70 vezes nosso próximo, assim devemos fazer.


Relacionamentos são a base de uma vida saudável. São parte das riquezas da vida e não devemos nos relacionar com alguém ou nos esforçarmos por alguém por que esse alguém merece. Devemos cuidar dos nossos relacionamentos por Deus e por nós mesmos. Mesmo que a pessoa nem mereça nosso esforço.


Até bem pouco tempo não agia assim, mas de um ano pra cá tenho tentado me esforçar por meus relacionamentos e tenho ganho muito com isso. Portas têm se aberto. Oportunidades têm surgido. Pessoas têm se aproximado pra ajudar. O bem que se faz a um não retorna muitas vezes da mesma pessoa. Deus manda um outro alguém pra nos abençoar.


Pessoas valem a pena. Fomos chamados por Deus para amar.