terça-feira, 28 de abril de 2009

É inteligente ser obediente

Outro dia refletindo sobre o tema obediência com meu filho de 11 anos, cheguei à conclusão de que muitas vezes na vida somos levados a pensar que ser obediente é coisa de gente burra, sem personalidade, sem decisão. Que sendo desobediente sim somos autênticos, temos personalidade própria, ninguém nos manda. Pensamos que fazemos o que queremos quando não obedecemos nada e ninguém. Este é o conceito mais idiota do mundo e boa parte do mundo acredita nele.
Quando somos obedientes:
· Nos são delegadas grandes responsabilidades
· Somos confiáveis
· Ganhamos terreno nos relacionamentos e nos processos
· Expandimos
· Avançamos
· Demonstramos ser compromissados
· Abrimos mão de nós mesmos pelo todo e aí ganhamos credibilidade
Aquele amigo do trabalho que está sempre à disposição e cumpre as tarefas a risca e a tempo está ganhando mais espaço que você porque é obediente. Você que se acha tão cheio de personalidade pode não estar sendo tão requisitado por que não demonstra confiança só fazendo o que quer e concorda. O seu amigo que você julga “puxa-saco”pode chegar a cargos mais altos que você por ser mais obediente que você. Pense nisso e avance com responsabilidade e obediência.

Tenho um filho totalmente obediente: ele ganhou uma moto com 14 anos, dirigiu com 17 anos, hoje toma sozinho conta das finanças de nossa escola com 21 anos. Quanto a meu filho desobediente, não posso nem imaginar em dar uma moto pra ele com 15 anos e provavelmente não chegará à mesma posição do irmão na mesma idade, a menos que mude suas atitudes.
Como somos úteis quando somos obedientes.

domingo, 12 de abril de 2009

Devo ser fiador?

Quem já não passou por esta situação? De um lado: precisando de alguém para ser seu fiador ou de outro lado: tendo que emprestar seu nome limpinho a alguém que precisa. Correndo o risco de perder algo precioso e custoso por alguém que muitas vezes nem dá valor e pode nos levar a maus momentos, inimizades, traições, descasos, arrependimentos, noites sem dormir... Quem já não passou pela situação constrangedora de pedir ou tão constrangedora quanto pedir, a de negar?
Não me cabe aqui dar minha opinião, somente fazê-lo, leitor, refletir sobre o tema à luz da palavra de Deus e a partir daí tentar formular dicas para se evitar o pior: negar a fiança sem analisar, deixando o outro em má situação ou a concordar em ser fiador sem certas precauções.

Deus nos diz textualmente: “Decerto sofrerá severamente aquele que fica por fiador do estranho, mas o que aborrece a fiança estará seguro” Provérbios 11:15 e mais 4 versículos em provérbios (6:1, 17:18, 20:16 e 27:13) nos aconselha a não sermos fiadores dos estranhos.

Uma coisa é certa: é impossível viver sem um fiador. Precisamos de alguém sempre e se nos colocarmos no lugar do outro poderemos sentir melhor sua situação. Claro que é melhor não ser fiador nunca – é sempre um risco, mas quem não precisa de fiador?

Um cheque em branco, uma compra no seu cartão de crédito, ou mesmo o fato de apresentar um amigo, valem também como fiança. E em qualquer situação de fiança devemos levar em consideração que tomamos para nós toda a responsabilidade. Não há como fugir. O que temos que considerar de antemão é que este é o principio da fiança e se algo der errado, não podemos culpar o outro – temos que assumir nossa responsabilidade sobre a transação. Bom, já sabemos que este é um principio da fiança, portanto:

1. Analise bem a situação da pessoa, fazendo perguntas. Elas não podem ser constrangedoras, são necessárias e se a pessoa estiver com boas intenções vai entender sua preocupação.
2. Não seja fiador de algo que você não poderá pagar.
3. Não seja fiador de alguém que você tenha relacionamento superficial.
4. Não coloque seu relacionamento em risco por causa da fiança – é melhor dizer não.
5. Não culpe o outro se algo der errado, isso não vai ajudar em nada.
6. Não ceda às pressões psicológicas, caso você julgue arriscado demais. Diga não sem culpas.
7. Não haja por impulso, analise bem antes de dar uma resposta. Pense que esta pessoa pode estar dependendo somente de você. E que um dia você pode estar no lugar dela.
8. Se tiver que negar, faça-o com fraqueza e justifique com firmeza e lógica.
9. Não minta ou dê desculpas “esfarrapadas”, isto pode te fazer parecer patético e pode ainda arruinar seu relacionamento. Além de que desculpas “esfarrapadas” humilham as outras pessoas, menosprezando sua capacidade de raciocinar.
10. Enfrente a situação de frente, não fuja. Pode ser mais embaraçoso ainda.

Quando por primeira vez me deparei com este versículo na bíblia pude entender melhor quão abrangente é a palavra de Deus. Ele cuida de nós nos mínimos detalhes de nosso dia-a-dia.

sábado, 11 de abril de 2009

Qual é o preço da indecisão?

Seja decidido!
por Joyce Meyer
8 abr.
Homens de duas mentes (hesitantes, duvidosos, indecisos), instáveis e pouco confiáveis e incertos sobre tudo o que eles pensam, sentem, decidem. -Tiago 1:8

Seja qual for o problema ou situação, a decisão é sempre melhor do que a dúvida e a indecisão. Por exemplo, se você teve uma desavença com alguém, é muito mais fácil decidir se desculpar do que ficar irritado e se encher de falta de perdão, amargura e ressentimento, enquanto você está esperando a outra pessoa pedir desculpas a você. Seja um pacificador, e você terá um monte de alegria. Passei muitos anos travando guerras, e acredite em mim, o preço que paguei foi elevado. Ela me custou a minha paz e minha alegria, e por vezes a minha saúde. Jesus tem um caminho, e nós podemos fazê-lo da Sua forma e desfrutar da vida. Indecisão faz-nos perder muito tempo, e tempo é demasiado precioso para ser desperdiçado.

Torne-se uma pessoa decidida, e você vai conseguir muito mais com menos esforço. Ninguém aprende a ouvir de Deus sem cometer erros. Não fique demasiadamente preocupado com erros. Não leve a si mesmo demasiado a sério. Você é um ser humano falível, e não um deus infalível. Aprenda com seus erros, corrija o que você pode, e continue a ser determinado. Não caia novamente em um padrão de indecisão e a uma mente dúbia só porque você está errado algumas vezes. Se você acha que Deus está levando você a fazer alguma coisa, faça-o! Tire-o da sua mente. Aja e semeie a semente. Se você acha que é certo, então o faça. Esta é maneira de você descobrir com certeza.

Dedique uma quantidade razoável de tempo de espera em Deus. Não siga seu instinto carnal, mas siga seu coração. Não tenha medo de si mesmo! Você não será a primeira pessoa a cometer um erro, nem vai ser a última. O medo do fracasso mantém milhares de pessoas presas na indecisão que definitivamente rouba alegria e complica a vida. Não tenha medo de tomar uma decisão e de então segui-la. Apenas faça!

Do livro Novo Dia, Nova Você: 365 Devotions para Enjoying Everyday Life por Joyce Meyer. Copyright © 2007 por Joyce Meyer. Publicado por FaithWords. Todos os direitos reservados.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Sendo entrevistado e "pagando mico"!!

Situação hilária e infelizmente muito comum em entrevistas. O despreparo elimina o candidato.

Observem a mão nervosa mexendo no cabelo, o tom de voz, o ritmo das falas...

Destaco aqui que não basta ser esforçada. Tem que ter capacitação, currículo bom, conhecimento adequado e além de tudo isto, esforço e comprometimento.

Existem muitas dicas relacionadas ao ato de ser entrevistado, mas o mais importante é se preparar com informações em primeiro lugar (cursos), se preparar buscando oferecer o seu melhor à empresa (que você analisa anteriormente ao ato de se candidatar a uma vaga) e ser honesto.
É importante conhecer a empresa a qual você está se candidatando. Saber qual é sua principal atividade, se há cargos interessantes para sua carreira e se a visão da empresa se adequa a sua visão de vida.
Mesmo em época de crise é importante não se desesperar e sair ansioso "pedindo um emprego". Ofereça seu trabalho, seus conhecimentos e seus talentos.

video

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Como você se vê?

Como você se vê?
por Joyce Meyer

Você gosta de si mesmo? Depois de anos tentando ajudar as pessoas emocionalmente, mentalmente, espiritualmente e socialmente, foi um grande avanço quando descobri que a maioria das pessoas realmente não gosta de si mesma. Alguns deles sabem que, enquanto outros não têm sequer um indício de que esta é provavelmente a raiz de muitos outros problemas em suas vidas.
Deus quer que a gente tenha ótimos relacionamentos, mas auto-rejeição e mesmo auto-ódio são as raízes de muitos problemas de relacionamento. Na verdade, eu encontrei na Bíblia um livro sobre as relações, dando conselhos valiosos sobre a minha relação com Deus, outras pessoas e até comigo mesma.

Como é o relacionamento com outras pessoas na sua vida? E sobre seu relacionamento com Deus... e até mesmo com você?

Será que já te ocorreu que você tem um relacionamento com você mesmo? Embora eu nunca tenha dado muita atenção, eu gasto mais tempo comigo mesma do que com alguém, e é vital para mim me dar muito bem comigo mesma. Lembre-se, você é uma pessoa que você nunca irá se afastar.

Todos nós sabemos como é angustiante trabalhar dia após dia com alguém que não se dá bem mas, pelo menos, essa pessoa não vem para casa com a gente durante a noite. Nós não podemos fugir de nós mesmos, nem mesmo por um segundo, por isso é da maior importância que tenhamos paz com nós mesmos.

Muitos de nós estamos presos a auto-rejeição, porque pensamos que ninguém nos ama e nos aceita. Nós pensamos que, se ninguém nos ama, então porque é que devemos amar-nos? Porque pensamos que outros não nos amam, somos da opinião que não vale a pena sermos amados. Mas isso é uma MENTIRA que temos acreditado por muito tempo!

Devemos amar-nos, e não de uma forma egoísta, maneira egocêntrica que produz um estilo de vida de auto-indulgência, mas de forma equilibrada, da maneira de Deus que afirma que uma criação de Deus é essencialmente boa e correta. Podemos ser imperfeitos por experiências infelizes que nós passamos, mas isso não significa que somos inúteis e imprestáveis.

Temos de ter o tipo de amor para nós que diz: "Sei que Deus me ama, para que eu possa amar o que Deus escolhe para amar. Eu não amo tudo que faço, mas me aceito porque meu próprio Deus me aceita." Temos de desenvolver o tipo de amor maduro que diz, "Eu sei que preciso mudar, e eu quero mudar. Na verdade, creio que Deus está mudando-me diariamente, mas durante este processo, não vou rejeitar o que Deus aceita. Vou aceitar-me como estou agora, sabendo que não vou ser sempre desta maneira."

Muitas vezes as pessoas que se rejeitam a si mesmas fazem-no, porque elas não podem ver-se a si mesmas como boas, apropriadas, ou corretas. Elas não conseguem ver a si próprias do modo como Deus as vê - preciosas crianças que Ele carinhosamente ama.

Quando você começa a ver-se com os olhos de Deus – como alguém que é amado e valorizado - sua visão de si mesmo começará a mudar. Você começa a ver-se, não como rejeitado, mas sim como amado e aceito ... único e belo em sua visão.

Amarmo-nos de forma madura é dom de Deus. Seus ensinamentos são práticos e extremamente úteis para o nosso dia-a-dia.