domingo, 11 de outubro de 2009

Todos temos 3 milhões de dólares em nossas contas bancárias

Assistindo ao último filme de Angelina Jolie, “O Procurado” uma cena me chamou atenção para como as coisas são quando um crê que Deus tudo nos supre. A cena é a que um jovem vê o saldo de sua conta bancária e tudo muda em sua vida.

O filme não é evangélico e nem fala nada sobre Deus ou religião. Mas quantas vezes podemos fazer paralelos entre as coisas de Deus e do mundo, porque afinal de contas, tudo pertence a Deus. Muitos pregadores costumam citar-nos a passagem em que Deus usa uma jumenta para falar. Esta passagem do filme que eu lhes digo pode ser uma revelação para você, assim com foi para mim.

O personagem principal leva uma vida pequena, medíocre. No escritório em que trabalha é humilhado constantemente por seu superior que é uma mulher de peso avantajado, de voz estridente e palavras debochadas. Chama-o a atenção freqüentemente em voz alta e em frente a todos por motivos torpes. Além de que sua namorada o trai com seu colega de trabalho. O jovem, que é o personagem principal do filme, é de repente procurado pela personagem da Angelina Jolie que o avisa que seu pai, que ele pensava estar morto há muito tempo, estava vivo. E que tinha identidade oculta porque fazia parte de uma organização milionária. Ela disse à ele também que seu pai havia falecido e que a organização o buscava acreditando que ele poderia ter herdado o mesmo talento de seu falecido pai para atirar com precisão. Enfim, para finalizar o assunto com o jovem e fazê-lo acreditar que ela falava a verdade, disse a ele que no dia seguinte ele teria 3 milhões de dólares em sua conta. No dia seguinte o jovem chegou bem cedo ao escritório, ligou seu computador e buscou a conta que constava ter, pasmem, os tais 3 milhões de dólares. Ele ficou paralisado. Seus olhos se arregalaram. Despertou do choque que sofreu com a mão de seu “amigo” sobre seu ombro, perguntando-o porque havia chegado tão cedo ao escritório. Ele somente pôde dizer que se sentia muito diferente naquela manhã. Ele não saiu dali para gastar todo o dinheiro, nem para fazer nenhuma loucura. Saber que tinha 3 milhões em sua conta mudou sua visão de vida. Saiu dali com um pedido de demissão. Não se sentia mais como um fracassado, como alguém que nasceu para perder. Sentia-se um vencedor. Na verdade ele passa a ser treinado por esta organização. E de uma pessoa medíocre, se torna um exímio atirador.

Amados, hoje eu declaro: “Vocês têm 3 milhões de dólares em suas contas bancárias, mas só que não podem ver o saldo!!” Imaginem-se agora donos desta conta bancária. Deus tem muito mais para nós. Todos os dias Ele nos supre no que precisarmos, se atendermos sua vontade, se fizermos o que Ele nos instrui a fazer. Não precisamos ver o saldo primeiro. Os 3 milhões estão lá. Pode acreditar. O que acontece é que não vemos, nós não escutamos, não cremos. E vivemos uma vida medíocre por falta de informação, por falta de crença, por falta de ousadia. Se pudéssemos ver, com certeza, seríamos outros. O fato de ver os 3 milhões em nossa conta mudaria tudo. Só de vermos já respiraríamos diferente. Mas não é assim que Deus se relaciona conosco. Não é assim que Ele quer muitas vezes. Ele gosta de sentir a nossa confiança nEle. Ele precisa ver nossa fé. “Homens de pequena fé”, Jesus nos chama.

Sejamos confiantes em Deus e ousados em crer que Ele nunca nos abandona, nos sustenta em tudo e quer nos fazer muito melhores do que somos.

domingo, 12 de julho de 2009

Dinamicas - Série Candidato

video
Dinâmicas

Faltou falar muita coisa no vídeo, mas ele serve de fonte riquíssima de observação e discussão sobre o tema – Seleção de vagas de emprego.

A candidata do vídeo desconhece completamente o que significa a palavra MARKETING PESSOAL. Da forma de se vestir à forma de esse comportar passando pelo tom de voz, ela é um desastre em tudo. Recusa-se a participar da dinâmica, atende o celular, e observem bem o assunto e a forma como trata deste assunto num processo de seleção. Não sei se prestaram atenção, mas o tema da ligação é um convite para um “pagodinho”. Nada contra este estilo musical, mas em uma entrevista pega mal. Soa como que a candidata se trata de alguém que vive em “pagodinhos”, suor, cerveja...e seu futuro patrão não gosta de saber disso logo de cara. Pode imaginar você chegando de manhã para trabalhar após uma noite no pagode, imagina?!? Com olheiras e cheirando a cerveja. Que horror!!

Outro furo da candidata é se ajoelhar e muitas vezes chegam até a sentar no chão. Da forma mais natural do mundo. Já apliquei muitas vezes esta dinâmica e estou cansada de ver candidatas sentando uma atrás da outra no chão. Chegam a ficar somente uma ou duas em pé. E é claro são as únicas a serem escolhidas para continuar o processo de seleção.

Falemos agora um pouco sobre o tom de voz. É alto, estridente e desagradável. Tudo bem que já selecionei candidata com voz diferente, mas tudo depende do cargo e da competência dela. A voz não é limitante para uma candidata que sabe se comportar e é profissional. Mas todos os candidatos têm que se esforçar para ter uma voz clara com boa dicção e sem erros de português. Isso demonstra segurança, limpeza e pró-atividade.

Quanto à maneira da candidata se vestir é no mínimo “ridícula”. Mas se vestir como quem vai ao baile também não condiz com a ocasião. Evite também roupa de colégio – tênis, camiseta. Ou roupa de ir à praia – short ou bermuda, blusa estilo top com umbigo de fora, chinelinho rasteiro, muitos acessórios, maquiagem pesada. Gente, se estou recomendando aqui é porque já vi inúmeras vezes estas vestimentas nas entrevistas. O melhor é se vestir de forma discreta em tons discretos. Demonstrando que você sabe o que quer, e o que quer é a vaga de emprego. E que se adaptará ao que for necessário.

O que importa num processo de seleção é deixar transparente aquilo que se é. Não tem como “enganar” o entrevistador por muito tempo. Quanto mais se esconde, pior fica. Quanto mais se quer demonstrar algo que não se é, também pior fica.

Para se sair bem num processo seletivo tem que conhecer bem a empresa, o cargo e principalmente, se conhecer muito bem. Para poder mostrar seus pontos fortes com habilidade e driblar seus pontos fracos.

sábado, 23 de maio de 2009

Você vai permitir?


Quinta-feira, 21 de Maio de 2009
O que vem depois da lei de "homofobia"

UBE - BLOGAGEM COLETIVA
(publique no seu blog)

VOCÊ VAI PERMITIR?(¿Usted lo permitirá?)
Pastor Hector Muñoz Uribe - Concepción/Chile
Tradução de João Cruzué

O que você diria se um homossexual entregasse a "teu" filho de oito anos um “manual” para convencê-lo de que suas condutas [homossexuais] são inteiramente normais? Que diria você se esse “manual” lhe inculcara que as condutas homossexuais não são aceitas por culpa da Igreja e da moral cristã que você tem ensinado?

Que diria você, se soubesse que esse “manual” vem acompanhado de um cursos, que inclui algumas “tarefas” como fazer um convite para um homossexual vir a sala de aula para que explique suas próprias experiências, ou pior ainda, efetuar visitas a organizações de homossexuais, onde se lhe explicará com todos os detalhes como se deve “assumir” a homossexualidade?

E, que diria você se o Ministério da Educação (do Chile) outorgasse um respaldo oficial a este “manual” dando-lhe boas vindas, como acaba de fazê-lo a chefe do Departamento de Educação Extracurricular do Ministério de Educação, Magdalena Garretón: “São muito bem-vindos os materiais para ensinar sobre este tema” (publicado no Jornal El Mercúrio em 28 de abril de 2009) ainda que o MEC – Chileno não o respalde?

Tal situação não é uma mera possibilidade. Ao contrário, é muito provável que seu filho deva estudar o manual “Educando na diversidade, orientação sexual e identidade de gênero” editado pelo “Movimiento de liberación homossexual [do Chile] e financiado pelo governo socialista de Extremadura (Comunidade Autônoma da Espanha, cuja Capital é Mérida) e pelo “Movimiento homosexual Triángulo”, também da Espanha.

Esse “manual” se destina, em uma primeira edição, a 250 colégios da Região Metropolitana de Santiago para crianças desde a 7ª séria do ensino fundamental até o 4º ano do ensino médio, além de oferecê-lo gratuitamente em página da WEB.

Seu objetivo é acostumar aos meninos, e entre eles pode estar “teu” filho, com as condutas homossexuais, acabar com qualquer objeção de consciência a essas condutas e, por último, a quem já tenha sido pervertido por suas diretrizes, a “sair do armário” publicamente. Ou seja, uma apologia da homossexualidade.

Mas este "manual" não fica apenas na teoria. Explica também a meninos e meninas que em seu "processo de auto-conhecimento" se deve destruir a "homo-transfobia-interiorizada", acabar com o recato e a vergonha sobre sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Em poucas palavras, isto significa que os ativistas homossexuais trataram de convencer a muitos meninos, que se encontram em uma fase de amadurecimento incipiente, de que são homossexuais sem sabê-lo, e que mais adiante se devem comportar como tais.

Posteriormente lhes mostra, nesse processo de "auto-conhecimento", que poderão ter experiências "de intimidade com pares homossexuais ou transexuais e, finalmente, lhes recomenda, a "saída do armário", ou seja, que proclamem sem vergonha sua condição homossexual.

Segundo o "manual", a principal culpada da discriminação aos homossexuais é a influência do cristianismo. Uma das religiões que consideram a homossexualidade com um pecado que atenta contra a moral e os bons costumes.

O "manual" explica aos meninos que "o pecado é um conceito religioso que somente se baseia na Bíblia, em texto "não conclusivo".

A consequência é que "teu" filho, na medida que se deixe induzir por ativistas homossexuais, se convencerá da "normalidade" de tais condutas, e terminará inevitavelmente rechaçando qualquer influência moral da religião, por crer que esta é a causadora de todas as discriminações.

Toda esta incitação à imoralidade e instigação à apostasia da moral cristã está sendo financiada pela Junta de Extremadura do PSOE (partido político da Espanha) e pela fundação espanhola "Triángulo" de lésbicas e homossexuais para impor sobre o Chile o que hoje já é lei na Espanha: as uniões civis homossexuais e a adoção de crianças por parte desses "casais".

Mas o objetivo do Movimento de Homossexuais (Movilh) é que o Ministério da Educação - 0 do Chile - incorpore o manual para lhe dar uma distribuição nacional. Segundo eles, o Movilh com esta publicação está "fazendo as vezes" do MEC-Chileno.

Afirma o "Movilh" que há jovens que estão solicitando sua publicação em todas as províncias chilenas (de Arica a Punta Arenas) sem embargo, uma política educação sexual para estudantes via Ministério da Educação ( CNN Chile, 18 de abril, 2009)

Isto é uma clara pressão para que o Governo do Chile "encampe" este manual como um texto educativo para todo o país. Tal eventualidade é bem provável, uma vez que o grande financiador das atividades do "Movilh" é precisamente o governo do Chile.

Ademais, o próprio Ministério de Educação do Chile já deu as "boas-vindas" a este péssimo manual e no passado recomendou um livro de conteúdo muito semelhante que aconselhava aos meninos: "Faça contato com alguma pessoa homossexual que você conheça. Se puder, convide-a para conversar em seu curso no colégio" ("Cambiando de Piel" - edição "La morada" 1997).

Pense um pouco em "teu" filho, ou em "tua" netinha. Pense na pressão do ambiente desse curso, nas burlas e sanções, se se obstina em considerar que as condutas homossexuais são "intrisicamente desordenadas" ou simplesmente, um pecado, como sempre tem ensinado a Igreja cristã.

Resistirá?

Este "manual" é uma clara incitação à apostasia da moral cristã e da fé, e um curso de perversão sexual para as crianças; para seu filho e para sua filha e faz parte de uma campanha para descristianizar o Chile desde suas próprias raízes.

E não pense que se você os matricular em um colégio cristão estarão a salvo desta influência. O "manual" foi redigido graças a uma "experiência piloto" realizada em vários colégios, entre os quais, o "Alma Matar" e o "Monsenhor Enrique Alvear", que dizem ter uma orientação católica.

É necessário e urgente exercer uma presão sobre o Ministério da Educação para impedir que aqueles que pretendem dar um respaldo oficial a este "manual" tenham êxito. Se a Ministra da Educação não vir, de parte dos pais de família uma forte reação contra esta campanha de pervertimento de nossos filhos, terminará por ceder diante das pressões do movimento dos homossexuais.

As declarações de boas-vindas da chefe do departamento de Educação Estracurricular do Ministério da Educação Chileno, Magdalena Garretón, a este material, são um claro indício de que se pretende aprovar oficialmente esta publicação.

Por esta razão, é urgente que você faça chegar agora mesmo seu protesto a Senhora Ministra e re-envie este email a todos seus conhecidos. Envie agora mesmo seu protesto. Emails e cartas o mais que puder. Que o Chile se informe da verdadeira realidade.

Email recebido do Pastor Hector Muñoz.

Original em espanhol: Blog Mirar Cristiano


Comentário - Hoje isto está acontecendo no Chile; amanhã, provavelmente, poderia acontecer no Brasil. Vejo uma Igreja cristã brasileira indiferente e pouco engajada. Do outro lado, o exército dos "amalequitas" está formado. Financiado com recursos públicos. Dos impostos que nós, cristãos, pagamos. Financiado com recursos de países e organizações estrangeiras. A Igreja brasileira não está levando em conta o tamanho do mal que está por vir. Para combater isso não basta orar. Nem se omitir; justificar que o mundo jaz no maligno. Você deve isto a seus filhos. A seus netos. É preciso se mexer dentro do exercício do jogo democrático. Protestar. Espernear. Engana-se quem pensa que, se a Lei da "homofobia" passar, o ativismo homossexual vai se arrefecer. O que está acontecendo no Chile mostra que não. Há uma estratégia planejada para exigir a mudança constitucional para legalizar o casamento homossexual. Com a lei da "homofobia" aprovada, o caminho fica livre. E se a lei mudar, pode amparar o casamento homossexual dentro da sua Igreja. Acorda e protesta! (João Cruzué)

terça-feira, 28 de abril de 2009

É inteligente ser obediente

Outro dia refletindo sobre o tema obediência com meu filho de 11 anos, cheguei à conclusão de que muitas vezes na vida somos levados a pensar que ser obediente é coisa de gente burra, sem personalidade, sem decisão. Que sendo desobediente sim somos autênticos, temos personalidade própria, ninguém nos manda. Pensamos que fazemos o que queremos quando não obedecemos nada e ninguém. Este é o conceito mais idiota do mundo e boa parte do mundo acredita nele.
Quando somos obedientes:
· Nos são delegadas grandes responsabilidades
· Somos confiáveis
· Ganhamos terreno nos relacionamentos e nos processos
· Expandimos
· Avançamos
· Demonstramos ser compromissados
· Abrimos mão de nós mesmos pelo todo e aí ganhamos credibilidade
Aquele amigo do trabalho que está sempre à disposição e cumpre as tarefas a risca e a tempo está ganhando mais espaço que você porque é obediente. Você que se acha tão cheio de personalidade pode não estar sendo tão requisitado por que não demonstra confiança só fazendo o que quer e concorda. O seu amigo que você julga “puxa-saco”pode chegar a cargos mais altos que você por ser mais obediente que você. Pense nisso e avance com responsabilidade e obediência.

Tenho um filho totalmente obediente: ele ganhou uma moto com 14 anos, dirigiu com 17 anos, hoje toma sozinho conta das finanças de nossa escola com 21 anos. Quanto a meu filho desobediente, não posso nem imaginar em dar uma moto pra ele com 15 anos e provavelmente não chegará à mesma posição do irmão na mesma idade, a menos que mude suas atitudes.
Como somos úteis quando somos obedientes.

domingo, 12 de abril de 2009

Devo ser fiador?

Quem já não passou por esta situação? De um lado: precisando de alguém para ser seu fiador ou de outro lado: tendo que emprestar seu nome limpinho a alguém que precisa. Correndo o risco de perder algo precioso e custoso por alguém que muitas vezes nem dá valor e pode nos levar a maus momentos, inimizades, traições, descasos, arrependimentos, noites sem dormir... Quem já não passou pela situação constrangedora de pedir ou tão constrangedora quanto pedir, a de negar?
Não me cabe aqui dar minha opinião, somente fazê-lo, leitor, refletir sobre o tema à luz da palavra de Deus e a partir daí tentar formular dicas para se evitar o pior: negar a fiança sem analisar, deixando o outro em má situação ou a concordar em ser fiador sem certas precauções.

Deus nos diz textualmente: “Decerto sofrerá severamente aquele que fica por fiador do estranho, mas o que aborrece a fiança estará seguro” Provérbios 11:15 e mais 4 versículos em provérbios (6:1, 17:18, 20:16 e 27:13) nos aconselha a não sermos fiadores dos estranhos.

Uma coisa é certa: é impossível viver sem um fiador. Precisamos de alguém sempre e se nos colocarmos no lugar do outro poderemos sentir melhor sua situação. Claro que é melhor não ser fiador nunca – é sempre um risco, mas quem não precisa de fiador?

Um cheque em branco, uma compra no seu cartão de crédito, ou mesmo o fato de apresentar um amigo, valem também como fiança. E em qualquer situação de fiança devemos levar em consideração que tomamos para nós toda a responsabilidade. Não há como fugir. O que temos que considerar de antemão é que este é o principio da fiança e se algo der errado, não podemos culpar o outro – temos que assumir nossa responsabilidade sobre a transação. Bom, já sabemos que este é um principio da fiança, portanto:

1. Analise bem a situação da pessoa, fazendo perguntas. Elas não podem ser constrangedoras, são necessárias e se a pessoa estiver com boas intenções vai entender sua preocupação.
2. Não seja fiador de algo que você não poderá pagar.
3. Não seja fiador de alguém que você tenha relacionamento superficial.
4. Não coloque seu relacionamento em risco por causa da fiança – é melhor dizer não.
5. Não culpe o outro se algo der errado, isso não vai ajudar em nada.
6. Não ceda às pressões psicológicas, caso você julgue arriscado demais. Diga não sem culpas.
7. Não haja por impulso, analise bem antes de dar uma resposta. Pense que esta pessoa pode estar dependendo somente de você. E que um dia você pode estar no lugar dela.
8. Se tiver que negar, faça-o com fraqueza e justifique com firmeza e lógica.
9. Não minta ou dê desculpas “esfarrapadas”, isto pode te fazer parecer patético e pode ainda arruinar seu relacionamento. Além de que desculpas “esfarrapadas” humilham as outras pessoas, menosprezando sua capacidade de raciocinar.
10. Enfrente a situação de frente, não fuja. Pode ser mais embaraçoso ainda.

Quando por primeira vez me deparei com este versículo na bíblia pude entender melhor quão abrangente é a palavra de Deus. Ele cuida de nós nos mínimos detalhes de nosso dia-a-dia.

sábado, 11 de abril de 2009

Qual é o preço da indecisão?

Seja decidido!
por Joyce Meyer
8 abr.
Homens de duas mentes (hesitantes, duvidosos, indecisos), instáveis e pouco confiáveis e incertos sobre tudo o que eles pensam, sentem, decidem. -Tiago 1:8

Seja qual for o problema ou situação, a decisão é sempre melhor do que a dúvida e a indecisão. Por exemplo, se você teve uma desavença com alguém, é muito mais fácil decidir se desculpar do que ficar irritado e se encher de falta de perdão, amargura e ressentimento, enquanto você está esperando a outra pessoa pedir desculpas a você. Seja um pacificador, e você terá um monte de alegria. Passei muitos anos travando guerras, e acredite em mim, o preço que paguei foi elevado. Ela me custou a minha paz e minha alegria, e por vezes a minha saúde. Jesus tem um caminho, e nós podemos fazê-lo da Sua forma e desfrutar da vida. Indecisão faz-nos perder muito tempo, e tempo é demasiado precioso para ser desperdiçado.

Torne-se uma pessoa decidida, e você vai conseguir muito mais com menos esforço. Ninguém aprende a ouvir de Deus sem cometer erros. Não fique demasiadamente preocupado com erros. Não leve a si mesmo demasiado a sério. Você é um ser humano falível, e não um deus infalível. Aprenda com seus erros, corrija o que você pode, e continue a ser determinado. Não caia novamente em um padrão de indecisão e a uma mente dúbia só porque você está errado algumas vezes. Se você acha que Deus está levando você a fazer alguma coisa, faça-o! Tire-o da sua mente. Aja e semeie a semente. Se você acha que é certo, então o faça. Esta é maneira de você descobrir com certeza.

Dedique uma quantidade razoável de tempo de espera em Deus. Não siga seu instinto carnal, mas siga seu coração. Não tenha medo de si mesmo! Você não será a primeira pessoa a cometer um erro, nem vai ser a última. O medo do fracasso mantém milhares de pessoas presas na indecisão que definitivamente rouba alegria e complica a vida. Não tenha medo de tomar uma decisão e de então segui-la. Apenas faça!

Do livro Novo Dia, Nova Você: 365 Devotions para Enjoying Everyday Life por Joyce Meyer. Copyright © 2007 por Joyce Meyer. Publicado por FaithWords. Todos os direitos reservados.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Sendo entrevistado e "pagando mico"!!

Situação hilária e infelizmente muito comum em entrevistas. O despreparo elimina o candidato.

Observem a mão nervosa mexendo no cabelo, o tom de voz, o ritmo das falas...

Destaco aqui que não basta ser esforçada. Tem que ter capacitação, currículo bom, conhecimento adequado e além de tudo isto, esforço e comprometimento.

Existem muitas dicas relacionadas ao ato de ser entrevistado, mas o mais importante é se preparar com informações em primeiro lugar (cursos), se preparar buscando oferecer o seu melhor à empresa (que você analisa anteriormente ao ato de se candidatar a uma vaga) e ser honesto.
É importante conhecer a empresa a qual você está se candidatando. Saber qual é sua principal atividade, se há cargos interessantes para sua carreira e se a visão da empresa se adequa a sua visão de vida.
Mesmo em época de crise é importante não se desesperar e sair ansioso "pedindo um emprego". Ofereça seu trabalho, seus conhecimentos e seus talentos.

video

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Como você se vê?

Como você se vê?
por Joyce Meyer

Você gosta de si mesmo? Depois de anos tentando ajudar as pessoas emocionalmente, mentalmente, espiritualmente e socialmente, foi um grande avanço quando descobri que a maioria das pessoas realmente não gosta de si mesma. Alguns deles sabem que, enquanto outros não têm sequer um indício de que esta é provavelmente a raiz de muitos outros problemas em suas vidas.
Deus quer que a gente tenha ótimos relacionamentos, mas auto-rejeição e mesmo auto-ódio são as raízes de muitos problemas de relacionamento. Na verdade, eu encontrei na Bíblia um livro sobre as relações, dando conselhos valiosos sobre a minha relação com Deus, outras pessoas e até comigo mesma.

Como é o relacionamento com outras pessoas na sua vida? E sobre seu relacionamento com Deus... e até mesmo com você?

Será que já te ocorreu que você tem um relacionamento com você mesmo? Embora eu nunca tenha dado muita atenção, eu gasto mais tempo comigo mesma do que com alguém, e é vital para mim me dar muito bem comigo mesma. Lembre-se, você é uma pessoa que você nunca irá se afastar.

Todos nós sabemos como é angustiante trabalhar dia após dia com alguém que não se dá bem mas, pelo menos, essa pessoa não vem para casa com a gente durante a noite. Nós não podemos fugir de nós mesmos, nem mesmo por um segundo, por isso é da maior importância que tenhamos paz com nós mesmos.

Muitos de nós estamos presos a auto-rejeição, porque pensamos que ninguém nos ama e nos aceita. Nós pensamos que, se ninguém nos ama, então porque é que devemos amar-nos? Porque pensamos que outros não nos amam, somos da opinião que não vale a pena sermos amados. Mas isso é uma MENTIRA que temos acreditado por muito tempo!

Devemos amar-nos, e não de uma forma egoísta, maneira egocêntrica que produz um estilo de vida de auto-indulgência, mas de forma equilibrada, da maneira de Deus que afirma que uma criação de Deus é essencialmente boa e correta. Podemos ser imperfeitos por experiências infelizes que nós passamos, mas isso não significa que somos inúteis e imprestáveis.

Temos de ter o tipo de amor para nós que diz: "Sei que Deus me ama, para que eu possa amar o que Deus escolhe para amar. Eu não amo tudo que faço, mas me aceito porque meu próprio Deus me aceita." Temos de desenvolver o tipo de amor maduro que diz, "Eu sei que preciso mudar, e eu quero mudar. Na verdade, creio que Deus está mudando-me diariamente, mas durante este processo, não vou rejeitar o que Deus aceita. Vou aceitar-me como estou agora, sabendo que não vou ser sempre desta maneira."

Muitas vezes as pessoas que se rejeitam a si mesmas fazem-no, porque elas não podem ver-se a si mesmas como boas, apropriadas, ou corretas. Elas não conseguem ver a si próprias do modo como Deus as vê - preciosas crianças que Ele carinhosamente ama.

Quando você começa a ver-se com os olhos de Deus – como alguém que é amado e valorizado - sua visão de si mesmo começará a mudar. Você começa a ver-se, não como rejeitado, mas sim como amado e aceito ... único e belo em sua visão.

Amarmo-nos de forma madura é dom de Deus. Seus ensinamentos são práticos e extremamente úteis para o nosso dia-a-dia.

sábado, 21 de março de 2009

GANHEI UM SELO!!

Amigos do DIHITT,
Ganhei um selo MARAVILHOSO de uma amiga MARAVILHOSA. Isto é muito honroso para mim. Desculpe aos outros amigos que me premiaram com um selo anteriormente. Mas sou semi-analfabeta digital e tinha insegurança nesta área. Não sabia como utilizar o selo. Acho que ainda não sei. Deve ser algum bloqueio que vou superar agora. Com a paciência dos amigos daqui.
Muito obrigada minha amiga Fabiana, por seu carinho e lembrança em meio a mais de 10 mil blogueiros nesta rede. Sou novata neste negócio, mas tenho aprendido muito e me divertido mais ainda.

O DIHITT marca a gente.

Fabiana, você é hoje uma das melhores aqui. E uma de minhas melhores amigas aqui também. Suas matérias são de muita qualidade e seu empenho invejável. Você merece ser uma das primeiras e me soa fora de lugar receber um selo seu. Mas este selo só confirma mais ainda seus comentários em meus textos. Sempre foram comentários de relevância e de alguém que tenha lido o texto e que tenha tirado uma lição dele.
Obrigada Deus por esta rede e pelas pessoas interessantes que a gente conhece aqui. Obrigada por este selo também. Ele é seu, meu Senhor Jesus Cristo.
Premiados:
Rodrigo Piva
Km Mad
André
Maurício
Adriana Horta
Ismaelita

E o selo é este lindão aqui:

Repasso este selo para outros que de igual forma se dedicam a falar do bem e de Deus:

Rouver

Antonio Regly

Sonia Regly

JBCPoeta

Roberto Soares

Francisco Castro

Pedro.Eninha

Parabéns, amigos. Deus se alegra do que fazem.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Coração Ferido

19 de março de 2009
Coração Ferido
“Pois eu sou pobre e necessitado, e o meu coração está ferido e atingido dentro de mim.” -Salmo 109:22
É errado ter um coração ferido? Não, um coração ferido não é errado, mas é preciso cicatrizá-lo e seguir em frente. Nos tempos do Antigo Testamento, se um sacerdote tinha uma ferida ou um machucado sangrando, ele não poderia ministrar. Acho que hoje temos um grande número de curadores feridos. Por isso, quero dizer que há um monte de gente no corpo de Cristo hoje que estão tentando ministrar para outras pessoas, mas que eles ainda têm feridas não curadas do passado. Estas pessoas ainda estão sangrando e machucando a si mesmas.

Estou dizendo que essas pessoas não podem ministrar? Não, mas estou dizendo que elas precisam ser curadas. Jesus disse que um cego não pode conduzir outro cego, porque se o fizer, eles vão cair em uma vala ambos. Existe uma mensagem na afirmação. Qual é a utilização da minha tentativa de ministrar vitória para os outros se eu não tenho vitória na minha própria vida? Como posso ministrar cura emocional para os outros se eu continuo a ter problemas emocionais não resolvidos do meu passado?
Para ministrar corretamente, é preciso ir a Deus e deixá-lo curar-nos primeiro. Penso que temos de acordar e perceber que Deus não está à procura de curadores feridos. Ele quer as pessoas com feridas que Ele pode curar e que irão, em seguida, trazer cura para outros. Deus ama usar as pessoas que foram feridas, porque ninguém pode ministrar para alguém melhor do que um que tenha tido o mesmo problema ou a mesma situação que essa pessoa.

Se ainda estamos sangrando e machucados a partir de nossas próprias feridas, não vamos ser capazes de chegar aos problemas dos outros com o mesmo tipo de fé agressiva que teríamos se tivéssemos já trabalhado por nossos próprios problemas. A questão de fundo é que precisamos deixar Deus curar-nos então, Ele pode usar-nos para trazer cura para as outras pessoas.

Do livro Novo Dia, Nova Você: 365 Devotions para Enjoying Everyday Life por Joyce Meyer. Copyright © 2007 por Joyce Meyer. Publicado por FaithWords. Todos os direitos reservados.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Do que você tem medo?

Caros Leitores, video
Não resisti e gravei da minha televisão mesmo. Tamanha lição não pode ficar sem ser destacada. Mesmo que em um filme belíssimo e mais interessante ainda por ser verídico não poderia passar sem ser destacada esta fala do personagem de origem latina que lutava contra a força das drogas, a pobreza e a falta de possibilidades em sua vida. Na verdade o Treinador Carter, personagem principal e escritor do filme, nos dá muitas lições. E ele sempre perguntava ao jogador: "Do que você tem medo?" Não esperando uma resposta imediata, mas o fazia pensar em porque estava tão preso, do que ele fugia. Neste dia o jogador respondeu:
"Nosso maior medo não é sermos inadequados,
nossos maiores medos são de sermos poderosos além da conta.
É a nossa luz e não a nossa obscuridade que mais nos apavora.
Ser pequeno não serve ao mundo.
Não há nada de sábio em se encolher para que as outras pessoas não se sintam inseguras ao seu redor.
Nós todos fomos feitos para brilhar como as crianças.
Não está apenas em alguns de nós, está em todos.
Na medida em que deixarmos nossa luz brilhar, nós inconscientemente damos às outras pessoas a permissão para fazer o mesmo na medida em que nos liberamos de nosso medo. Nossa presença automaticamente libera os outros."

Perdi muitos anos com medo de ser poderosa além da conta e me encolhia para que os outros não se sentissem inseguros. Hoje não.
E você, tem medo de que?


Nome do filme: "Coach Carter"

sexta-feira, 6 de março de 2009

Você é confiável?

Confiança, confiança ...Como é necessário confiar e como está difícil hoje em dia confiar nos amigos, na namorada, no marido, no patrão, na empresa, no vizinho, nas instituições em geral – escola, igreja, governo, etc... até no pai e na mãe ficou difícil confiar, haja visto casos como os dos Nardonis e tantos outros de mães que jogam seus filhos no rio...

Mas o que determinava a confiança mútua antigamente? Creio que seriam as regras sociais, a honra (palavrinha sumida do dicionário do cotidiano), a vergonha-na-cara, a palavra dita, o nome colocado como penhor. As regras sociais determinavam “uma certa” tranqüilidade com relação às expectativas que deveríamos ter do outro. Mas a modernidade fez com que estas regras fossem derrubadas definitivamente e fez prevalecer o “ Eu quero”, o “Eu posso” e as regras sociais que serviam como fio condutor da sociedade e das relações passou a ser sinônimo de amarras e correntes. Porém o que de fato passou a enferrujar o sistema relacional vigente e até hoje é assim, foi o “Eu posso, o “Eu quero”. Quem regulava o comportamento do cidadão eram as regras sociais, hoje é a polícia, a justiça, muitas vezes nem estas(que deveriam ser a força) conseguem realizar seu propósito. Mas e nós, somos confiáveis? Você é confiável? Eu sou confiável?

Deus sabiamente nos diz em sua palavra que “Tolo é o homem que confia no homem.” Existem traduções em que diz: “Maldito é o homem que confia no homem”Jeremias 17:5
Portanto nunca há que se confiar no homem, em suas idéias, em suas opiniões, em seus valores pessoais. Somos pó (Gênesis3: 19). A única coisa em que podemos confiar de “olhos fechados” é em Deus. Esta palavra me valeu de muito. Confiava demais na opinião de minha mãe, julgava que tinha vivido mais do que eu e que por ser minha mãe, sempre queria meu bem. Confiei errado. Não é por culpa dela, ou por falha dela, é por que não somos confiáveis. Somos factíveis de erros. Fui tola, fui maldita pra mim mesma e pra outros também.

Portanto aquele amigo do trabalho que você tanto confia..., não é por culpa dele, mas ele não é confiável. Você também não é confiável. Só Deus é confiável. Isso nos dá uma margem de erro boa para os nossos relacionamentos. Isso nos torna possível perdoar e ser também perdoado mais facilmente.

A desconfiança é geral e tem gente que não confia nem em Deus. Jonas, aquele mesmo que ficou três dias na barriga do peixe porque tinha que ir pregar para um povo que era inimigo do seu, não confiou em Deus. Não aceitou que Deus decidiu não acabar com os ninivitas (povo inimigo do seu)e que os perdoou. Jonas não aceitou o julgamento de Deus e pediu para morrer. Muitas vezes não confiamos em Deus e o julgamos, não compreendemos suas atitudes. Esquecemos que Ele é Deus e que tudo sabe. Que é misericordioso e que entende profundamente a nossa natureza, por isso nos perdoa. Somente em Deus podemos nos arriscar, nos lançar.


Deus nos dá ensinamentos práticos para o nosso dia-a-dia. Aprendendo com Deus erramos menos e caminhamos em caminho seguro e plano.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Fui demitido. E agora, o que faço?

Nestes tempos de crise econômica, demissões em massa, queda da bolsa, etc...a realidade do desemprego chegou para muitos. Se este é o seu caso, não deixe que a angústia, a ansiedade, o medo de não encontrar outro emprego, o medo de não conseguir sobreviver até encontrar este novo emprego, o medo de ficar tanto tempo desempregado que tenha que se candidatar a cargos ou salários inferiores ao último...Muitas incertezas, muitos medos...mas não se abale, seja como a palmeira – flexível e resistente a todo tipo de furacão, maremoto, tornado....
Não se desespere, tome as seguintes providências:

1.Reflita nos motivos, além da crise financeira, que fizeram com que você fosse um dos escolhidos para ser demitido. Para não começar repetindo os mesmos erros do passado – De quem foi a culpa: sua ou da crise?
2.Pense que momentos de crise são difíceis, mas são terrenos férteis para o crescimento em todos os aspectos.
3.Não saia no dia seguinte da sua demissão, apressado e desesperado atrás de um novo emprego. Espalhando currículo pra todo lado. Pense se quando você iniciou sua carreira fez um plano – se não fez, faça a partir de agora, esta é a oportunidade de recomeçar. (leia o Texto “Porque planejar?”)
4.Pare.....pense.....pense.....deixe Deus agir e te dizer que rumo tomar. Pergunte a Ele o que Ele quer que você faça a partir de agora.
5.Pense que se sua vida está nas mãos de Deus, deve existir uma razão para esta mudança de rumo. Confie nEle. Ele é especialista em transformar maldição em benção.
6.Quando se sentir pronto e for buscar uma nova oportunidade de trabalho, não pense só no salário. Pense se é “neste lugar” e “fazendo isto” o que realmente você quer fazer. E ponha mais uma vez nas mãos de Deus.
7.Não há pressa. Se Deus permitiu que você chegasse a esta situação, e Ele é dono de sua vida, não vai permitir que nada lhe falte. Lucas 12:24 – “Considerai os corvos, que não semeiam nem ceifam; não têm despensa nem celeiro; contudo, Deus os alimenta. Quanto mais não valeis vós do que as aves!”
8.Aceite bem as mudanças – por que elas serão inevitáveis.
9.Seja positivo – não aceite pensamentos negativos, eles são provenientes daquele que quer destruir sua vida(o inimigo de nossas almas) e só servem pra te encurralar e te fazer tomar más decisões.
10.Lembre-se trata-se da sua vida e a melhor opção pode não ser a primeira.
11.Lembre-se você já está em má situação, não faça nada apressado ou desesperado que vá fazer com que você piore a sua situação - resista às pressões.
12.Não faça empréstimos – como vai poder pagar sem uma renda mensal fixa?
13.Não faça compras com o cartão de crédito, nem mesmo a de supermercado.
14.Comece a fazer cortes, mas pegue leve...
15.Evite acompanhar o que seus amigos empregados fazem, lembre-se você agora está em situação desfavorável - não pode mais seguir estes exemplos, pelo menos por um tempo.
16.Procure seus credores (bancos, administradoras de cartões de crédito, escola das crianças, etc...) para explicar a situação e ver a possibilidade de obter um prazo ou parcelamento. Faça isso quando observar que não terá condições reais de cumprir por um bom tempo seus compromissos.
17.Lembre-se que esta é uma situação passageira, não vai durar para sempre.
18.Deixe para trás o que ficou. Siga para frente, o que passou, passou.
19.Seja líder. Ninguém poderá conduzir a situação por você.
20.Creia. Esta é a força propulsora mais forte que existe.

Consideremos uma passagem bíblica, está em I Reis 17: 1-16, onde o profeta Elias foi enviado por Deus a um lugar onde os corvos o alimentavam e ele tomava água do rio. Um dia este rio se secou e Deus o enviou a outro lugar para cumprir a vontade de Deus. Não lhe faltou nada. Esta passagem nos mostra que quando o rio que nos alimentava se seca, é que Deus tem outro destino para nós. E nada nos falta. E neste outro lugar, estaremos cumprindo a vontade de Deus e não temos que fazer como a mulher de Ló que virou uma estátua de sal por que olhou para trás, como sinal de arrependimento, de apego ao que passou. Deus tem sempre algo melhor pra nós logo ali na frente.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Quem não sabe ser liderado, não pode receber instruções - COMO DEUS NOS INSTRUI

Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra.”II Timóteo 3:16-17

Quando pensamos em instruções de Deus pensamos se tratar de loucura ou devaneio. Mas quem tem intimidade, e este é fator fundamental para receber instruções, sabe que Ele tudo fala: como Ele quer algo, o que Ele quer, quando devemos investir no que Ele diz para fazermos... tudo em detalhes. E quando o seguimos somos sempre bem sucedidos.

Deus nos instrui através de sua palavra, da vida de Jesus e em nossos pensamentos, quando estão alinhados com os dEle. Se pensamos em relacionamentos, pensamos em comunicação. Nossa comunicação com Ele se dá em pensamentos, em leituras, em orações, em louvores, em conversas...e outras formas mais, pois Deus é generoso e criativo.
Quando nos relacionamos com alguém superior a nós, outros aspectos estão envolvidos (Gostaria que lessem o texto fazendo um paralelo entre nosso relacionamento com Deus e nosso relacionamento com nosso superior em nosso trabalho, resguardadas as devidas proporções). É necessário:

1. Saber ouvir – Para ouvir é necessário calar também. Se não ouvimos, não sabemos o que fazer ou fazemos coisas erradas.
2. Reconhecer a voz de quem nos lidera – A voz de Deus nos fala ao coração diretamente, mas em nossa mente também. Sua voz é coerente sempre com seus valores encontrados em sua palavra.
3. Obedecer prontamente – Se é para fazer algo, não devemos hesitar. Temos que executar.
4. Confiar no líder – Confiança é a base de todo relacionamento sadio.
5. Confiar em você mesmo – Se você não confiar em você é como se não estivesse confiando em Deus, em seu líder. Pois Ele confia em você.
6. Obedecer com precisão – Não podemos modificar as instruções de acordo com nossos interesses. Comprometemos os resultados.
7. Pedir instruções – Demonstramos submissão e dependência. Transmitimos confiança.
8. Querer obedecer – Obedecer é palavra decadente neste mundo egoísta e autosuficiente.
9. Reconhecer-se dependente – se não reconhecemos nossa dependência, não podemos obedecer.
10. Aceitar ser corrigido quando necessário
11. Ser fiel – Assim como Deus é fiel conosco, temos que ser com Ele.
12. Cumplicidade/Intimidade
13. Interdependência
14. Humildade/Capacidade de submissão
15. Predispor-se a ter sintonia
16. Abrir mão de si mesmo para algo maior e em conjunto
17. Estar disposto a fazer coisas que teme
18. Estar disposto a fazer coisas que se é contra
19. Estar disposto a fazer coisas que machucam
20. Estar disposto a fazer coisas que a única certeza que se tem é de que é isto que tem que ser
feito
21. Não questionar, confiar

Se estiver disposto a aprender sobre estes relacionamentos tão importantes para o sucesso de sua vida, coloque-se em sintonia com seus líderes, seja capaz de ser liderado e receba instruções valiosas para seu crescimento.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Sonegar?!? Todos fazem. Por que não eu?


Este é o pensamento da grande maioria dos empresários. Pelas dificuldades de sobrevivência, pela ganância, pelo valor alto dos impostos, pela tradição, pela facilidade com que isso é possível no Brasil ou por outro motivo qualquer, quase todos praticam a sonegação de impostos, o caixa dois. Isentos de culpa, claro, por que já faz parte da nossa cultura, aliás, quem não sonega sim é bobo, louco, doente com certeza. Quando se abre um negócio uma das informações mais relevantes é saber como se faz para driblar o governo. Os mais recatados perguntam baixo, entre os dentes e sem pronunciar as palavras por inteiro. Os mais ousados e confiantes falam abertamente e confiantes de sua esperteza. E ainda no final da pergunta dão gargalhadas como quem diz: “Claro, né, eu não sou burro!!”
“Pra que pagar impostos? Pra encher o bolso dos políticos? Eles são todos ladrões. Quero encher o meu então.”
“Até o Presidente rouba!!!”
”Não há como sobreviver pagando os impostos corretamente.”
Mas Deus fala-nos algo a respeito disso na passagem em que Jesus andava nas ruas e alguns vieram para perguntá-lo, na tentativa de obter reforço em suas idéias contrárias ao pagamento de impostos, perguntaram: “Dize-nos pois, que te parece? É lícito pagar tributos a César, ou não? ...Então lhes disse: Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.” Mateus 22: 17-21. Eles ficaram admirados. Esperavam que o bom Jesus lhes dissesse: Que absurdo! Quem este tal de César pensa que é? O dono do mundo é Deus e Ele nos deu tudo, então ninguém tem que pagar nada a homem nenhum. Mas Jesus não disse isso, foi sábio e amigo da ordem.
Quem não paga impostos corretamente não pode julgar os políticos.
Quem não paga impostos corretamente não pode reclamar do governo.
Quem não paga impostos corretamente não pode exigir nada dos órgãos públicos.
Quem não paga impostos corretamente não pode exigir respeito.
Quem não paga impostos corretamente não tem direito de usar dos benefícios que o governo oferece ao cidadão.
Quem não paga corretamente os impostos não tem o direito de ser chamado brasileiro.
Sábio conselho de Deus não é? Que não se esquece de nos advertir de nada, especialmente dos detalhes.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Como lidar com as circunstancias e se dar bem.


Nestes tempos de turbulências: enchentes – são 12 cidades debaixo d’água no estado do Rio, crise mundial, instabilidade no emprego, férias, feriado, carnaval....meu Deus, quando é que volto ao normal? Não podemos nem sair de casa. Tem água pra todo lado. Já jogamos baralho, brigamos, ficamos tristes, ficamos alegres, todos da família reclamam que não saio de frente deste computador, será porque? Parece que o tempo não passa e que ao mesmo tempo estou perdendo tempo demais.
Ficamos preocupados com o futuro. Tudo acontece fora da nossa previsão e como não temos certeza de nada, dá ansiedade, tem hora que achamos que tudo vai dar certo e tem horas que achamos que estamos loucos e temos a certeza que agora será o nosso fim.
Nada disso!!! Este é um momento. Não temos que olhar as circunstâncias. Elas vão estar sempre variando. Temos que estar com o pensamento voltado para o foco, para nosso objetivo. Tudo que desejamos de bom para nossa vida acontecerá se mantivermos o foco.
Não olhando as circunstancias vemos a situação com um olhar mais frio, mais analítico.
Não olhando as circunstancias acalmamos nossas emoções e nos estabilizamos.
Não olhando as circunstancias mantemos o foco.
Não olhando as circunstancias temos a certeza de que tudo passará.
Não olhando as circunstancias o tempo passa no seu tempo, nem devagar e nem depressa.
Não olhando as circunstancias estamos firmes.
Joel Osteen, pregador americano, diz que temos que ser como a palmeira. Porque durante as grandes catástrofes na Flórida é a única árvore que sobrevive por causa de sua flexibilidade. Os tornados e maremotos passam e as palmeiras ficam.
Os justos florescerão como a palmeira, crescerão como o cedro no Líbano.” Salmo 92:12
As palmeiras com certeza não olham as circunstancias, zombam delas. Dizem, internamente: “Tormenta, maremoto, vocês vão passar e eu vou ficar. Tenho certeza disso. Nada, nenhuma circunstancia por pior que pareça ser, será definitiva. Eu sobreviverei, tenho muito que fazer. As circunstancias não me abalam, são frágeis diante dos meus objetivos” e assim ela, a palmeira, vence toda e qualquer circunstancia.

domingo, 4 de janeiro de 2009

Parar faz parte da estratégia vencedora


Ativismo, ativismo, diria melhor, superativismo, hiperativismo. Estar ativo, sempre ocupado, fazendo mil coisas e não tendo tempo pra nada. Uma agenda cheia de compromissos. Tempo, tempo, tempo, só falamos dele ou da falta dele. “Não tenho tempo pra ir à sua casa”. “Quero fazer mais um curso, mas não tenho tempo”. “Quero me relacionar melhor com meus amigos, meus vizinhos, mas não tenho tempo”. “Tenho que realizar. Fazer mil coisas ao mesmo tempo. Coisas que nem sei por que faço”. Levantar cedo e já sair sem saber o porquê. “Preciso fazer uma pós, um mestrado, mais um curso, também o curso pra fazer concurso. Academia – preciso malhar mais. Ler mais, navegar mais. Vender mais, abrir mais uma loja, contratar mais funcionários”. E com tantas obrigações esquecemo-nos de perguntar para onde estamos indo. O que estamos fazendo. Aonde queremos chegar. Temos que PARAR. Temos que refletir, calibrar nossa vida, ver se o que estamos fazendo vai nos levar aonde queremos chegar. As receitas de vida de uns não servem para outros. Temos que ter nossas atividades alinhadas com os nossos objetivos de vida e são necessários períodos de calmaria, de reflexão.



Em Isaías 30:7, Deus nos diz que: “... No estarem quietos, estará a sua força.”

Isso nos manda Deus e muitas vezes estamos inquietos quando estamos sem atividades. Agora é fim de ano, época de festas e muitas vezes nos sentimos mal e inúteis por que parece que nada está acontecendo. Não podemos fazer nada. Nesta época muitos de nós estamos sem trabalhar, sem academia, nossa rotina muda e isto nos faz sentir um vazio...como um incomodo por que parece que estamos andando pra trás. Parece que estamos perdendo tempo.

Mas ao contrário do que pensamos, Deus age na nossa inatividade muitas vezes. Se estivermos sempre fazendo muitas coisas, se estivermos sempre no superativismo, Deus não consegue falar conosco, não consegue nos instruir, não consegue nos colocar no Seu caminho. De qualquer forma, se Ele conseguisse nos instruir não conseguiríamos atendê-lO por que temos que ir ao curso, temos que ir a academia, temos que sair, ir ao cabeleireiro. Temos muitas idéias, muitas coisas para fazer, mas nem todas nos convêm. Temos que parar e nos perguntar o que vale a pena ser feito, ou melhor, o que Deus quer que façamos. E assim como a Moisés, Noé e tantos outros, Deus nos instrui.

Em Isaías 30:21 Ele nos diz que:”os teus ouvidos ouvirão a palavra que está por de trás de ti, dizendo: Este é o caminho; andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.”Portanto há um caminho de Deus para nós e temos que estar atentos, alertas, calmos, quietos para ouvi-lo e permanecermos nele. Sem nos desviarmos para a esquerda e nem pra direita. Ou seja, coisas vão nos querer fazer desviar do caminho. Se estivermos no superativismo, isso se torna mais fácil. Mais fácil de cairmos em ciladas e nos desviarmos dos caminhos certos, dos objetivos anteriormente traçados.

Deus nos manda mais em Isaías 30:15: “...Em vos converterdes e em repousardes, estaria a vossa salvação; no sossego e na confiança estaria a vossa força....”Repousar, sossegar, confiar são verbos presentes nas instruções de Deus. Ele quer que estejamos calmos para ouvi-lo, quietos para deixar que Ele aja e confiantes de que Ele não nos abandona nunca e que somos dependentes dEle.

Amigos leitores, só me resta dizer que é fácil ser um pregador, difícil é ser um cumpridor da palavra.